Banda Ponto de Equilíbrio lança clipe da música ''Direitos Iguais'', assista!


Direitos iguais e justiça para o povo Tupi e Guarani e todas as etnias remanescentes daqui.



A banda carioca Ponto de Equilíbrio acaba de lançar o clipe oficial da canção "Direitos Iguais". A música faz parte do mais novo trabalho do grupo intitulado “Essa é a Nossa Música”, lançado no mês de março desse ano.

Direitos Iguais é uma música de protesto pelos os direitos dos índios roubados historicamente no Brasil. A canção aborda sobre o extermínio dos povos indígenas desde a chegada dos portugueses e da injustiça que eles ainda sofrem nos dias de hoje. O clipe foi gravado no meio da floresta e retrata cenas históricas, além do depoimento sobre um dos maiores genocídios da história do Brasil.

Assista Ponto de Equilíbrio – Direitos Iguais



LETRA:

Direitos iguais e justiça para o povo Tupi e Guarani
E todas as etnias remanescentes daqui
Direitos iguais e justiça para o povo Tupi e Guarani
E todas as etnias remanescentes daqui

1500, o homem branco em Pindorama chegou
Muita riqueza natural foi o que encontrou
Um clima quente, um belo dia e um povo que vivia em harmonia
Ticuna, Caiagangue, Guarani-kwoa, Juruna, Caetés, Xavantes e Tupinambá
Do Oiapoque ao Chui, no Brasil, testemunhos do maior crime que se viu
Muito ódio, muita maldade, a Coroa mandou pra cá a escória da humanidade
Muito sangue, muita matança, esvaiando com toda esperança
Com sentimento de justiça o indio ficou, se levantando bem mais forte contra o opressor
Agora isso é o que importa na sua vida, usando a lança pra curar sua ferida.

Direitos iguais e justiça para o povo Tupi e Guarani
E todas as etnias remanescentes daqui
Direitos iguais e justiça para o povo Tupi e Guarani
E todas as etnias remanescentes daqui

Eu te pergunto se essa luta adiantou, vendo que o Índio ainda não tem seu valor
O cangaceiro do fazendeiro foi o primeiro que atirou
Mas foi tanta injustiça que o Índio sofreu, que até hoje ele não tem o que é seu
Ele chora e pede ajuda, mas até hoje inda não venceu
500 anos se passaram e nada mudou
Agora querem exterminar de vez com o que restou

Não dão valor a uma cultura mais antiga, mas vão pagar cada centavo na saída