Fio da Fé: banda Ponto de Equilíbrio lança novo single


No dia de Zumbi dos Palmares e feriado da consciência negra, a banda Ponto de Equilíbrio lança sua nova música, intitulada “Fio da Fé”. A canção vem pra falar sobre alguns fatos que marcaram a história recente do Brasil e do mundo, tais como o encerramento do calendário Maia em 2012, a renúncia do Papa Bento XVI, o falecimento do líder Nelson Mandela, as manifestações nas ruas de nosso país, a Copa do Mundo e as eleições. Mas apesar de todas essas mudanças, a canção afirma em sua poesia: “garantia de vida não tem para o povo, na corda bamba se equilibram de novo/ são malabaristas no fio da fé”.

A gravação aconteceu no estúdio clássico Toca do Bandido no Rio de Janeiro e a mixagem vem assinada por Rafael Paz, da Unidade 76 Records. O vídeo clipe dirigido por Thiago Ferreira e projeto gráfico de Márcio Sá será lançado em dezembro, celebrando o aniversário da banda, quando o Ponto de Equilíbrio comemora 15 anos de existência.

“Fio da Fé” é uma amostra do novo álbum, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2015.

Chegou a hora de escutar a nova música do Ponto de Equilíbrio

Ouça e cante essa nova pedrada do reggae nacional!



LETRA DA MÚSICA FIO DA FÉ (Lucas Kastrup)

Passarinho cantou, 2012 passou e até o Papa renunciou
Calendário mudou, o povo não se libertou
Ai, ai, ai, Mandela desencarnou
Continuamos exercitando o dia a dia com amor (com amor)
Para mantermos sempre em forma, a nossa paz interior
Mas a Babilônia vampiriza, não descansa, ela escraviza o bom trabalhador
Babilônia vampiriza, não descansa ela escraviza o bom trabalhador
Que acorda cedo (bem cedo) com disposição para garantir o pão
Acorda cedo (bem cedo) com disposição, éi-éi
Garantia de vida não tem para o povo
Na corda bamba se equilibram de novo
São malabaristas no fio da fé, é é
Malabaristas no fio da fé, é é

"Refrão": Passarinho...
Eleições e os gastos da Copa, político rouba quem paga é você, mas quando estourar no Brasil
uma guerra civil o mundo vai ver
Guerra civil, como nunca se ouviu falar
Guerra civil, como nunca se viu, se viu...