Entrevista com a Rastafári Carol Afreekana Arruda


Compartilhamos com vocês uma entrevista feita em 2012 pela a galera do blog Força Rasta entrevistando a Carol Afreekana Arruda. Confira:

Força Rasta: Nós somos do curso de Propaganda e Marketing da Unip e estamos fazendo este trabalho na disciplina de Comunicação e Expressão. Particularmente apreciamos muito a Cultura Rastafári e dada a idéia ao grupo resolvemos fazer sobre esse tema, que está incluso no tema: Pluralidade Cultural. Criamos um blog que fala sobre a Cultura Rastafári, porém, não tão a fundo, pois sabemos que é algo muito imenso. Nosso blog é o “Força Rasta”, este aqui é o endereço (www.jahblessrastafari.blogspot.com.br), onde sua entrevista será postada depois se permitir.

Carol Afreekana Arruda: Eu também tenho um blog, se quiser dar uma olhada (www.raizafreekana.blogspot.com.br)... Claro, claro, fiquei a vontade...

Força Rasta: Ah que bom!.. Pode dar uma olhada no nosso também... Até se você quiser apontar algo que possamos mudar que não esta de acordo, fique a vontade!

Carol Afreekana Arruda: Agradeço...

Força Rasta: Primeiramente então, você segue a Cultura Rastafári, né?

Carol Afreekana Arruda: Isso, isso mesmo, procuro seguir!

Força Rasta: Que ótimo! E nossos parabéns, é fantástico o estilo de vida que vocês levam. Gostaria de saber de você, que vive nesse meio, o que é a Cultura Rastafári pra você?

Carol Afreekana Arruda: Na verdade, na verdade, Rastafári para mim não é uma cultura... É vida! Rastafári, vem de Ras Tafari, de Rei Selassiê, é seguir seus ensinos, nos quais podemos denominar ensinos vindos de Cristo, os ensinos da bíblia, compreendendo o que está dentro de nós, nossa verdadeira raiz e vivência (cultura)... Entende? "Compreender o que está dentro de você, para realmente enxergar o que lá fora está a se passar..."

Força Rasta: Entendemos perfeitamente. É muito legal saber de alguém que vive isso. E se dissermos algum termo errado nos corrija... Não quero de forma alguma dizer algo que te ofenda...

Carol Afreekana Arruda: Fiquem tranquilos, fique a vontade querida! (Risos)... Sei que não irão fazer isso! :) :)

Força Rasta: Então, continuando, o que te fez querer viver dessa maneira?

Carol Afreekana Arruda: Desde pequena eu fui criada de uma forma muito tradicional, meus pais são evangélicos, então já vivia ensinamentos bíblicos...Mas algumas coisas foram me desagradando nestes meios em que vivi, e sempre buscava dentro de mim viver o amor verdadeiro, e sentia esse vazio, e quando fui conhecendo os caminhos verdadeiros de Ras Tafari e seu amor profundo, conhecendo irmãos e irmãs, pude compreender o que estava dentro de mim, e este buraco foi sendo preenchido... e até hoje ele está sendo preenchido, é claro que com muitas provações, muitas batalhas, mas sabendo que Jah é comigo, e Ele fala sempre comigo que está junto! Está me protegendo em todas as suas batalhas! Não sei se consegui me expressar bem, mas é um pouco do que eu sinto! (Risos).

Força Rasta: Se expressou muito bem e que bacana tudo isso!

Carol Afreekana Arruda: (dá risada) Damos graças!

Força Rasta: E como foi aceito pelas pessoas que já conviviam com você? Como elas enxergaram isso? Positiva ou negativamente?

Carol Afreekana Arruda: Totalmente negativamente! Sendo sincera, infelizmente, meus pais não aceitam meus caminhos, respeitam, porém não aceitam! Pelo que sigo, pelos princípios que busco viver, naturalmente afastei-me de uns colegas, não por que quis, mas naturalmente.

Força Rasta: Entendemos, é triste a maneira como as pessoas enxergam algo negativo nos Rastafáris, nós mesmos só conseguimos ver coisas positivas! E a principal intenção do trabalho seria apresentar a Vida Rastafári para aqueles que não conhecem e por isso acabam pré-julgando. A quanto tempo você vem seguindo os princípios Rastafári?

Carol Afreekana Arruda: Olha irmã, faz mais ou menos uns 9 anos! (Risos).

Força Rasta: Nossa! Bastante tempo... Legal!

Carol Afreekana Arruda: Sim. Bastante tempo. (Risos)

Força Rasta: Quais são as atividades que um rastafári costuma praticar? No geral, o que vocês costumam fazer, principalmente quando estão juntos?

Carol Afreekana Arruda: Bom, entre as irmãs buscamos fazer as leituras da Bíblia, falarmos sobre o sagrado feminino, artesanatos, gostamos de ouvir música também, cantar para Jah, orar... E também existem os dias de celebrações, como 23 de julho que é o dia de Selassiê, dia 2 de novembro a Celebração da Coroação de Selassiê e Menen, são datas importantíssimas para o Rastafári e buscamos celebrar tocando tambor e cantando (nyahbinghi). Também costumo ir a E.A.B.I.C., que significa Congresso Negro Internacional Etíope Africano, Igreja da Salvação, que se situa em Jarinú, onde guardo os sabbaths e pratico os serviços de leitura de Salmos, nyahbinghi...

Força Rasta:: É, realmente as pessoas conhecem muito pouco a vida de um Rastafári, o conhecimento que temos é muito superficial. É algo realmente lindo!

Carol Afreekana Arruda É algo espiritual, sabe... Buscamos a vida reta em Deus mesmo, sabe. dedicando nossa vida, espiritual e física puramente à Jah! Todo o trabalho, toda a música do irmão, da irmã que busca Rastafári é buscada de coração e espírito, sabe?

Força Rasta: A maneira que vivem é muito bonita, as pessoas realmente precisavam saber mais sobre vocês. E claro, procurar buscar mais a Deus, viver uma vida ao lado Dele! Carol, me diga quem seria Haliê Selassiê I para você e para os Rastafáris?

Carol Afreekana Arruda: É nosso Rei e nosso Pai. Acredito Eu, Caroline, que Selassiê é o homem de Sião, é o Cristo Emmanuel dos dias de hoje, que libertou o povo preto e coroou este povo estimado de Deus. Através de Marcus Garvey (João Batista), que fez a profecia que Selassiê viria para salvar e redimir uma África que todos não tinham o devido respeito e amor verdadeiro. E quando Selassiê reinou e ainda reina no coração de toda carne, ele mostrou o poder da verdadeira África, África como um continente riquíssimo em espiritualidade, em devoção a Jah, o primeiro povo do mundo e o povo que reinará em Sião juntamente com Selassiê!

Força Rasta: Que lindo tudo que disse. Deu para entender perfeitamente.

Carol Afreekana Arruda: Damos graças! Eu não sou muito boa tem dias em me expressar, mas acho q “tô”conseguindo! (Risos).

Força Rasta: Carol me desculpe! ...Acabei me esquecendo de perguntar de início, qual sua idade?

Carol Afreekana Arruda: Tenho 26 querida! Ops, ops, errei... 27...estou pensando que estou em 2011 (Risos).

Força Rasta: (Risos) Entendi (Carol dá risada). Você é casada Carol?

Carol Afreekana Arruda: Sou, sou sim, querida!

Força Rasta: E seu esposo também é Rastafári?

Carol Afreekana Arruda: Isso, também.

Força Rasta: Que bom isso. Carol, nós não temos preconceito algum quanto a isso... Bom...

Carol Afreekana Arruda: Pode falar querida!

Força Rasta: Bom, sabemos que a erva faz parte da vida de um rastafári. O que você poderia dizer sobre isso?

Carol Afreekana Arruda: A erva, ou melhor, chamada, GANJAH, é um sacramento sagrado, e divino. Em Gênesis Jah diz que nos deu os usos das plantas e ervas para usarmos como medicina e a ganjah, assim como cidreira, como camomila é uma dessas ervas que nos traz a cura e a elevação espiritual. A ganjah trás cura para o espírito e para o corpo. Sabemos muito bem dos seus efeitos medicinais, cura câncer, cura dores de cabeça, cura todos os males que emanarmos que cura! E ela não é usada como um cigarro qualquer, é um sacramento que deve ser somente usada para elevação espiritual e cura interior, através dela recebemos dons do espírito, hinos, cânticos para Jah Rastafári! Tem um cântico Rastafári que diz assim: "Coloco Jah no pensamento, o sacramento vai de mão em mão, consagrando a casa a chegada do Rei de Sião...". Acredito que este cântico diz por si só.

Força Rasta: Nossa, ótimo tudo que disse. Tentamos explicar para as pessoas que julgam muitas vezes os Rastafáris pelo uso da erva, mas não sabem todo o fundamento e utilidade desse uso.

Carol Afreekana Arruda: Poxa, eu queria tbm que as pessoas entendessem e respeitasse quem faz o uso medicinal da ganjah! Mas né, Jah que sabe mesmo.

Força Rasta: E já emendando no assunto de preconceito, você sente que as pessoas tem preconceitos em relação a vocês?

Carol Afreekana Arruda: Sim, tem sim, viu, irmã. Aqui onde eu moro, em São Bernardo, quando eu e meu esposo vamos ao mercado, por exemplo, ou saímos de ônibus, nossa, as pessoas nos olham como se fossemos de outro mundo, sabe? Um olhar de como se fossemos sujos. Mas quando vamos mostrando através de atitudes que não somos o exterior, mas sim o interior, as pessoas vão amaciando seus pontos de vista! Mas existe um preconceito sim! E não só por sermos rastafáris, mas por sermos negros também!

Força Rasta: Poxa Carol, imagino! As pessoas não entendem. Já ouvi muitos se referirem a vocês como pessoas sujas e isso me deixa muito chateada também, as vezes tento defender vocês mas não adianta falar certas coisas para pessoas que tem mentes vazias, quer dizer, mentes cheias de coisas, mas de coisas vazias na verdade!

Carol Afreekana Arruda: É melhor mostrar através de atitudes. Atitudes dizem tudo do ser humano, em tudo na vida!

Força Rasta: E não vejo de verdade, de coração, um povo com atitudes tão amorosas, de paz, de irmandade, de pessoas que realmente são guiadas por Jah.

Carol Afreekana Arruda: Eu acredito que sim né! (Risos).

Força Rasta: E eu também acredito (Risos). Estamos chegando ao fim da nossa tão gostosa entrevista Carol, e repito sempre, nunca fiz um trabalho tão gostoso como este.

Carol Afreekana Arruda: Aaahh que bom! Eu espero poder ter ajudado! Vocês conversaram com mais pessoas?!

Força Rasta: Infelizmente por um lado e felizmente por outro, só falamos com você, nossa vontade era de falar com todos vocês, de visitar alguma comunidade ou lugar que vocês se reúnam... Mas infelizmente, por causa do tempo, não deu. Carol nos diga qual a visão que você tem do nosso mundo hoje, das pessoas, atitudes...?

Carol Afreekana Arruda: A visão que Cristo nos deixa claro na Bíblia: "Amando uns aos outros e suportando-vos uns aos outros em amor...". Suportar, não quero impor nada a ninguém, vou buscar fazer o que Jah pede que façamos, que é espalhar seu evangelho pela terra, mas nem todos querem estar neste caminho, pois é um caminho de flores e espinhos, e não para todos, então quem não quer seguir comigo, eu continuo amando em amor.

Força Rasta: E com certeza vocês passam esse amor, é nítido isso em vocês. O amor que vocês têm pelas pessoas, independente de como elas sejam em relação a vocês

Carol Afreekana Arruda: Que bom que tem essa visão. Damos graças mesmo pela compreensão do que é um pouco do que sentimos! E fique livre pra quando quiserem ir visitar, é só me avisar.

Força Rasta: Nossa Carol! Iremos mesmo. E por fim, gostaria queríamos que deixasse uma mensagem pra galera que vai ver o blog, pra galera da sala, pra geral mesmo. Você já passou diversas mensagens, mas gostaríamos de uma pra fechar a entrevista.

Carol Afreekana Arruda: Arruda: Hummm... Deixe-me pensar...Marcus Garvey me ensinou muito e tem me mostrado muito quem realmente eu sou, e em seus discursos ele sempre dizia que temos que buscar sabermos quem somos, de onde viemos e qual é nosso papel a ser desenvolvido aqui na terra. E eu espero que humildemente com seu trabalho, as pessoas, todos os irmãos e irmãs, olhem para dentro de si, observem-se e analisem quem realmente é cada Eu e Eu e Eu. E eu estou aí pra somar, pra ti, pra todos, buscando desempenhar da melhor forma meu papel aqui neste terra! Acho que é isso, se tiver alguma coisa, tenho maior prazer de te falar, tá tão boa a conversa (Risos).

Força Rasta: Nossa! Lindo, lindo, tudo que disse. Esperamos de coração também, que consigamos mudar um pouquinho a cabeça dessas pessoas, com esse trabalho, e só agradecemos Carol, pela simpatia, pela atenção e pelo tempo que esteve aqui nos ajudando! Muito Obrigado! Foi uma entrevista e com certeza uma aula pra nossas vidas! E queremos sim poder conhecê-los melhor.

Fonte: Força Rasta